Sete dicas para prever o que seu cliente
vai querer no futuro e surpreendê-lo

E se você pudesse prever o próximo passo do seu cliente? E se, mais do que o próximo passo, você fosse capaz de saber – antes dele – qual será a sua próxima vontade? Acredite: tudo isso já é realidade e depende basicamente de dados. Dados, aliás, que cada vez mais devem desempenhar um papel central na tomada de decisões de toda e qualquer empresa que busca agilidade e eficiência na relação com os consumidores. Confira como a utilização correta de dados pode ajudar a impressionar o seu cliente.

Download do material ›

7 dicas para prever o que seu cliente vai querer

1 | Conheça seu cliente

Tudo começa aqui. Apenas se você usar dados — em tempo real, de preferência —para conhecer muito bem o seu público-alvo é que você conseguirá conhecer as expectativas que ele tem e prever as necessidades que ele ainda terá.

2 | Identifique insights

No mar de dados do relacionamento entre uma marca e seus clientes, muitos insights podem surgir, especialmente quando as características do seu cliente ficam mais claras para você. Para aproveitar esses insights, você precisa encontrar o timing correto para oferecer novas experiências a cada perfil de consumidor, de forma personalizada.

3 | Faça testes e aprenda com eles

Para encontrar a fórmula mágica que torna possível oferecer a experiência certa para a pessoa certa no momento oportuno, você precisa realizar testes. Para isso, pode contar com algumas ferramentas que utilizam algoritmos de aprendizado, para melhorar cada vez mais a personalização das interações que você terá com seus clientes em tempo real.

4 | Integre as informações

O cliente não quer saber se interagiu com a sua marca na loja física, no site ou pelas redes sociais. Ele quer ser identificado em qualquer que seja o canal, como cliente único que ele é. Quer também que você saiba o que ele procura. A missão é árdua, mas a tecnologia pode ser uma aliada na integração de dados que você já tem e no fornecimento de uma imagem clara do que está — ou não — funcionando em tempo real. Uma dica para quem não tem um banco de dados completo e atualizado é combinar informações de parceiros ou de terceiros.

5 | Ofereça experiências consistentes

Seguindo a lógica que o cliente que ser visto como uma única pessoa, independentemente do canal em que ele esteja, as experiências que você oferece também devem seguir uma consistência, não importa se a interação — ou a campanha, se for o caso — ocorre no online ou no offline. O cliente é único e a marca é única também.

6 | Utilize os recursos do mobile

As informações fornecidas pelos aplicativos móveis são preciosas para conhecer seu cliente e predizer as suas necessidades. Portanto, utilize a favor da sua marca o poder das análises de geolocalização e segmentação com base na posição do GPS e na proximidade de locais marcados.

7 | Tome decisões difíceis

Se os dados apontarem que sua estratégia falhou e não está atendendo às expectativas, tenha coragem de tomar decisões difíceis. Recomece do zero se for preciso. Mais uma vez, a consistência das informações pode ser uma grande aliada para corrigir a rota com agilidade.

Quer saber mais sobre marketing orientado por dados?

Download do material ›